domingo, 23 de março de 2008

Sobre hipocrisia e babaquice

Chega!
Vamos parar de hipocrisia. Não quero mais fingir que o mundo é um mar de rosas que eu quero enxergar, porque ele não é, nunca foi e nunca vai ser. Quero parar de calar os gritos que eu mantenho assim, em silêncio, latejantes. A partir de hoje eles vão sair quando quiserem, onde quiserem e com a intensidade necessária. Vamos parar de acreditar que a gente consegue se enganar. Vamos começar a quebrar aquele muro erguido em torno da casa. Aquele muro que fazia dessa moradia uma espécie de fortaleza e, só assim, você vai começar a ver o quão podre essa casa é, o quanto as paredes são frágeis e vulneráveis ao tempo ou a qualquer mudança drástica demais.
Você vai ver que a farsa pode modificar a fachada, mas por dentro, a casa continua podre, com aquele cheiro de mofo horroroso que você não suporta, com as portas corroídas e as janelas em pedaços. Com os retratos aos pedaços jogados no chão, e as cartas borradas de qualquer tipo de bebida barata que poderia ter caído nelas durante uma noite de revolta.
E daí, quando a muralha cair e você descobrir que aquela moradia não é uma fortaleza, você vai olhar pra tudo que construiu acreditando na fortaleza, que agora não existe mais. O que está ali na sua frente são apenas cacos. Cacos da sua incrível realidade.

3 comentários:

Adrielly Soares disse...

Talvez o sistema da fachada ainda funcionasse, se você não tivesse descoberto que era tudo uma farsa.
Talvez ainda funcione se você acreditar nela de novo.
;* muieh

♥M@cellY♥ disse...

Que lindoo...
Cacos... o que nos sobram são cacos... cacos de realidades, de vida, de emolões. Mas os cacos, nunca mais formaram o todo perfeito de antes...

Bjo grandeee querida!

laurabcarvalho7 disse...

Éhh...
Simples, curta e principalmente direta...
Bjos