sexta-feira, 7 de março de 2008

"Na verdade o nada é uma palavra
esperando tradução..."
Engenheiros do Hawaii




Essas linhas aqui escritas são a maior tradução do nada. Mas não o nada como um branco de pensamento, ou a falta de palavras no meio de uma explicação, ou o vazio de sentimento. Esse nada aqui escrito é a conseqüência de um tudo. De tantas coisas querendo ser expressas ao mesmo tempo que a única coisa que fica realmente visível é uma mistura de palavras e pensamentos numa desordem magistral.
É o nada cheio de qualquer coisa que se possa imaginar, é o nada que te incomoda por ser justamente tudo aquilo que você não queria na vida. Aquilo que você joga fora mas ele teima em voltar mostrando o quanto você é fraca. Um nada que ocupa o maior espaço da sua cabeça enchendo-a de pensamentos inúteis.
Um nada que não tem origem e você nem sabe se vai ter fim.
Afinal, quem sabe definir o nada?
Não, não... O nada não é algo escuro muito menos a falta ou o vazio. O nada é algo cheio, entupido, encrostado de tantas coisas que desse tudo a explicação simplesmente não faz sentido e quando alguém te pergunta o que você tem a resposta é a mais sincera e simples possível: NADA!

2 comentários:

Adrielly Soares disse...

"O nada é algo cheio, entupido, encrostado de tantas coisas que desse tudo a explicação simplesmente não faz sentido e quando alguém te pergunta o que você tem a resposta é a mais sincera e simples possível: NADA!"

Adorei a sua definição do nada,
e ela me faz todo sentido,
a melhor definição que alguém jah fez pro nada.


* eu preciso tanto te ver [denovo]
bejumeligadepoisporquehojeagentejaatesefalou.
=)

Gorro disse...

Poutz.. Bem legal seu post. Realmente, o nada é mais que o tudo. É uma maneira simplificada de falar e complexa de explicar.

Ótimo post, parabéns!




www.blogdogorro.blogspot.com