terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Convencibilidade

E se fosse verdade? Bem, precisamos assumir que não seria assim lá uma novidade. Não é o tipo de coisa que você nunca imaginaria. Aliás, pra te falar a verdade é uma coisa que eu sempre imaginei. Mas é que a gente sempre arruma desculpas pra poder provar o contrário, pra dizer que não é verdade e que no fundo tudo não passa de um mal entendido. Besteira! Qualquer dia desses você ainda se pega desolada, com a mentira nas mãos, sem saber o que fazer com ela e com o que ela fez dentro de você. Então, a farsa que você criou pra se convencer caiu e sobra você, com a sua cara de tacho e seu discurso de vitoriosa sobre a situação.
De certo modo, seria um jeito mais curto de mudar de rumo, de começar novas histórias, de me reinventar. Mas não vou mentir e dizer que isso não me incomoda. Pra falar a verdade sempre achei tão absurdo e ao mesmo tempo tão coerente.
É a explicação pra tudo aquilo que nunca fez sentido, mas ao mesmo tempo é frustrante demais pra me convencer fácil assim.
Não sei, mas tenho a impressão que quanto mais eu penso, mais eu me convenço e mais eu quero negar. Acho que eu nunca vou perder essa incrível capacidade de me fazer sempre dois extremos.

Um comentário: