sábado, 5 de abril de 2008

Desculpa.

"Você me diz que eu te olho profundamente...
Desculpa, tudo que vivi foi profundamente.

Eu te ensinei quem sou e você foi me tirando os espaços entre os abraços,
Guarda-me apenas uma fresta.

Eu que sempre fui livre, não importava o que os outros dissessem.
Até onde posso ir para te resgatar?
Reclama de mim, como se houvesse possibilidade de eu me inventar de novo.

Desculpa, desculpa se te olho profundamente, rente à pele
A ponto de ver seus ancestrais nos seus traços,
A ponto de ver a estrada antes dos teus passos.

Eu não vou separar minhas vitórias dos meus fracassos!
Eu não vou renunciar a mim; nenhuma parte, nenhum pedaço do meu ser vibrante, errante, sujo, livre, quente.

Eu quero estar viva e permanecer te olhando profundamente!"

(Recitado por Ana Carolina na turnê "Dois Quartos")


2 comentários:

Adrielly disse...

O show mais perfeito de todos.
*_*

SAbe, eu gostei desse poema, ou sei lá o que...


"Reclama de mim, como se houvesse possibilidade de eu me inventar de novo. (...)

Eu não vou renunciar a mim; nenhuma parte, nenhum pedaço do meu ser vibrante, errante, sujo, livre, quente. "

Só que isso me lembra que eu tentei mudar algué e
apesar de saber que e posso ter sido um
pouco egoísta e intolerange,
não gosto de pensar que eu estava errada, pro meu bem.
Porque se eu pensar que estava erradavou ccomeçar a me arrepender.
E ainda acho que tive toda razão.
Beijo eu te amo,o
obrigado por me fazer companhia
nos momentos mais divertidos da minha vida.
;*

♥M@cellY♥ disse...

Lindoooooooooooo demais!!!
Exelente escolha de post!!!
Bjãooo