segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Sobre promessas

Por que é que ainda acreditamos nessas falsas promessas? Por que acreditamos em coisas que sabemos que não existem nem nunca existiram? Foi a pergunta que sua amiga lhe fez.
A resposta estava na ponta da língua mas preferiu ignorá-la e responder: Não sei. Mas talvez seja melhor assim.
Talvez seja melhor assim. É isso era inegável, pensava ela. O que a amiga não sabia, ou talvez também ignorava, era que elas acreditavam porque queriam acreditar! As promessas davam à elas uma esperança de final feliz. De que um dia tudo terminaria bem, como nos filmes que elas sempre viam. Davam também o ânimo pra fazerem planos, que poderiam dar certo ou não, mas não importava! Eram os planos, a esperança e as promessas que faziam com que o dia-a-dia tivesse uma meta, um objetivo a ser seguido. O que tirava a vida de uma existência banal.



"É pouco mas é tudo que eu tenho,
tudo que eu posso oferecer!"
Engenheiros do Hawaii

3 comentários:

O Profeta disse...

Os meus sonhos emprestaram-te asas
A minha indomável vontade o encanto
Coroei-te com diadema de espuma
Nos umbrais do infinito pensamento

Uma torrente de emoções aguarda-te esta semana

Mágico beijo

Adrielly Soares disse...

eu adorei a explicação, porque afinal
como diz meu pai, o importante é não
deixar nunca de sonhar, porque os sonhos
são o motivo pelo qual fazemos qualquer coisa.
E acho que ele e você tem razão.
Vamos acreditar nos sonhos e nas promessas,
porque de que vale um sonho se não acreditar nele ?


* a cada dia você se supera.
oO

Rafael disse...

hummmm
que orgulho dessa filósofa.. heheheh
como sempre achei massa o texto.. :D
só não sei escrever bunitimm igual vc... heheh

=*